PORTO CIDADE


Share Button

 A função comercial da atividade portuária antecede o conjunto de instalações conhecidas como infra-estrutura portuária. O transporte marítimo precisava de um ponto de apoio próximo a terra, capaz de lhe permitir a atracação e a movimentação das cargas. Modernamente, o empreendimento portuário transcende as instalações para o trânsito de mercadorias, fazendo parte dele as vias de acesso, ou corredores de circulação de cargas e os complexos industriais que dependem do trânsito de insumos e matérias-primas gerados pelo porto comercial. (PORTO e TEIXEIRA, 2002).

A história das cidades litorâneas está vinculada aos seus portos. Essas cidades portuárias se desenvolveram a partir do trânsito de pessoas e cargas pelos seus portos. Estes portos induziram o surgimento e crescimento de áreas residenciais, o comércio, e o ordenamento das vias de tráfego. Desta forma, os sítios portuários se entrelaçaram aos ambientes urbanos. (PORTO e TEIXEIRA, 2002).

Para dimensionar a fração do território agregado à atividade portuária deve-se considerar as áreas diretamente utilizadas para a atividade, como as áreas de circulação, estacionamento, pátios de manuseio, edificações (armazéns), faixa de cais, áreas adjacentes de acesso, de segurança ou proteção, como áreas reservadas à expansão ou uso induzido ou agregado. O projeto portuário produz influências, ou seja, ganhos positivos e negativos para a sociedade devido às modificações que introduz no ambiente natural e urbano. Essas influências podem ser perturbações causadas ao meio ambiente, ou no ambiente socioeconômico quando causa detrimento a outras atividades desenvolvidas na região. (PORTO e TEIXEIRA, 2002).

O vínculo porto-cidade tem raízes profundas, podendo o complexo portuário está relacionado com o desarranjo dos centros urbanos, e por outro lado muitas cidades têm sua razão de ser baseadas nas atividades portuárias. Os intensos fluxos rodoviários de carga (pesadas ou perigosas) gerados nos ambientes urbanos podem restringir o uso das vias pelo congestionamento ou até por danificá-las. Além dos demais impactos associados aos transportes rodoviários, como aumento da temperatura, ruído, risco de acidentes, etc. Por outro lado, a obsolescência da infra-estrutura portuária acarretará a degradação das áreas urbanas em seu entorno. (PORTO e TEIXEIRA, 2002).

Share Button